Blog

Como se concentrar melhor para memorizar tudo o que é ensinado na autoescola e passar na prova do Detran

Alunos matriculados nos cursos preparatórios para prova teórica do Detran, ou mesmo aqueles que já fizeram o teste e foram reprovados, costumam queixar-se de que não estão conseguindo absorver os conteúdos necessários  para a aprovação.

Seja pelo grande volume de informações novas; seja pela falta de técnicas de ensino e didática mais eficazes, a verdade é que com algumas técnicas e reprogramação do cérebro é possível dar um salto gigantesco na performance de qualquer pessoa que esteja se preparando para passar pelas avaliações do Detran. Neste texto eu vou te mostrar algumas destas técnicas poderosas.

CLIQUE AQUI para conhecer as melhores TÉCNICAS de como controlar o nervosismo e passar de primeira na prova teórica do Detran.

Eu sou o Dr. Eriston Mourão, psicanalista, coach e terapeuta em programação neurolinguística (PNL) e criador do programa APROVETECH que, em parceria com a equipe da LegTransito, será utilizado para mostrar técnicas e estratégias que eliminam todos os fatores de descontrole emocional na hora da prova e, então, conseguir a aprovação nos exames e realizar o sonho da carteira habilitação.

DEU “BRANCO”

A maneira como os conteúdos são, na maioria das vezes, apresentados ao alunos, os impõe a “decoreba” como forma absorver o que lhes é oferecido. O grande problema é que essa é uma metodologia mecânica, e limita a retenção mental desses assuntos ao curto prazo. É importante ressaltar que um dos pilares determinantes para que o aluno, futuro motorista, tenha um bom desempenho na prática de direção, é ter uma boa base teórica.

Qualquer coisa diferente disso o candidato corre o risco, de diante de qualquer variável emocional, esquecer na hora do exame de tudo que decorou, seja num momento de ansiedade ou nervosismo onde dá aquele ¨branco¨ – a pessoa simplesmente trava e  não consegue lembrar  de nada que decorou.

Outra explicação para este “branco” está na dependência, cada vez maior, da tecnologia – que substitui recordações naturais por artificiais e compromete significativamente as funções cognitivas do indivíduo causando o déficit de memória (esquecimento).

Fique por dentro de todas as técnicas ensinadas no programa APROVETECH e passe de primeira no exame teórico do Detran.

Já imaginou se pudéssemos lembrar de tudo o que vemos, ouvimos ou vivenciamos com a facilidade em que nos recordamos dos nomes de familiares ou de momentos felizes que passamos? A neurociência nos ajuda a entender como aprendemos e formamos memória e porque resgatamos algumas com facilidade e esquecemos parcial ou totalmente de outras.

REPROGRAMAÇÃO CEREBRAL

Nosso cérebro recebe as informações por meio de estímulos captados pelos canais sensoriais: visão, audição, tato, olfato e paladar. Cada novo conhecimento promove novas conexões neurais (ligações entre neurônios) e acessa as já existentes em busca de associações. Quando uma nova informação lhe é recebida, e essa informação faz sentido, ela chega ao sistema cognitivo de pronto e conecta-se a um  (dado) preexistente.

Associada a esse dado preexistente, a informação também se torna um conhecimento significativo, que é retido por muito mais tempo no cérebro, formando a memória de longo prazo.

Por outro lado, se a informação não faz sentido, acontece um tipo de aprendizagem meramente mecânico e de rápido esquecimento, denominada memória de curto prazo. Pode-se afirmar que sem memória, não há aprendizado.

A atenção ao recebermos uma informação e as emoções que atribuímos a ela são essenciais para determinar o que guardaremos de forma mais reforçada.

Quanto mais a pessoa recebe estímulos neurais referentes a uma nova informação, e quanto maior a carga emocional contida neste estímulo maior será a consolidação desta informação na sua memória. Isso ocorre porque as sinapses e mecanismos envolvidos na aprendizagem desta tarefa se fortalecem com a prática, a repetição e de acordo com a intensidade dos estímulos (emoções).

ASSOCIAÇÃO E PRAZER

A técnica da ASSOCIAÇÃO consiste no aluno receber um novo conteúdo e o associar a algo que já conhece. Por exemplo: quem tem dificuldade de direção (direita e esquerda) pode fazer associação com o braço no qual fica o relógio. Assim, sempre que ele precisar dessa definição com um pouco mais de rapidez, ao invés de buscar essa informação em algum lugar do seu cérebro, vai simplesmente olhar para o braço e assim fazer a relação com a direção para onde deseja ir.

Eu quero te enviar outros materiais que vão ajudá-lo a acabar com o nervosismo na hora da prova do Detran – CLIQUE AQUI para receber.

Não poderíamos deixar de falar no técnica do PRAZER. É comprovado que se uma pessoa chega para um evento – uma palestra por exemplo – e antes de começar ela já passa por alguns perrengues, como: Calor ambiente (falta de ar condicionado); Dificuldade de acesso ao ambiente do evento (mal recebido ou exigências não programadas); Faltou lugar para se sentar ou ficou numa posição não muito favorável; antes mesmo do palestrante abrir a boca, essa pessoa já terá fechado o seu cérebro de maneira que nada, ou quase nada, que for falado pelo palestrante o interessará, ou mesmo que o agrade, não será bem absorvido pela sua mente.

Portanto, esteja de mente aberta para receber com PRAZER o conteúdo que lhe será oferecido. Tente não deixar que nada o desestimule ou comprometa o seu humor antes e durante os estudos.

Para um aprendizado satisfatório, é necessário que você use essas duas técnicas, dentre várias outras que ensinamos em nosso programa APROVETECH, pois com elas (associação e prazer) você terá um desempenho muito maior enquanto estiver estudando.

Algo similar pode ser constatado naquele aluno que está aprendendo a dirigir. As cinco aulas no simulador mais 20 na direção do veículo, associadas a um estado de satisfação, de tranquilidade e bom humor fortalecerá as conexões neurais, fazendo com que este fique mais confiante – isso gera a consolidação do aprendizado que fica retida na memória de longo prazo e, assim, podendo ser acessada a qualquer momento por meio de estímulos, seja visual, sonoro ou cinestésico.

EXERCITANDO A MEMÓRIA

Estimular a memória algumas horas após sua aquisição pode facilitar sua consolidação. Não é incomum ouvirmos relatos de pessoas que passaram por situações em que ela dominava determinado conhecimento, mas ao ser submetida à prova – uma entrevista ou fala em público – as informações ficam comprometidas, vindo à mente incompletas ou distorcidas.

Tais falhas repentinas, que ocorrem com circunstâncias de pressão emocional, podem ser causadas pelo estresse e pela ansiedade, que geram nervosismo e promovem a liberação de cortisol (hormônio) o qual, em alta concentração, agem sobre os neurônios receptores causando essa confusão mental.

É preciso que aluno entenda o conteúdo para que o memorize. Quando assimilamos, sistematizamos e formarmos conceitos, estabelecemos uma memória de longa duração. Assim, aprender e entender tornam-se sinônimo de memorizar.

Geralmente, as pessoas são ávidas por imagens e movimentos. Acostumados com vídeos, jogos sons (ação). Portanto, inovar as estratégias de ensino como incluir recursos visuais, audiovisuais, é uma necessidade para o aprendizado e memorização. Pois, torna as aulas dinâmicas, interessantes e desafiadoras, aliadas à repetição e ao treino como formas de reforçar as sinapses, despertam a atenção e interesse dos alunos, contribuindo para a memorização.

A capacidade de armazenar informações depende do potencial físico do cérebro. Esse potencial é que determina a capacidade de processamento do cérebro que, por sua vez, podem ser melhoradas por meio de exercícios.  Por isso, no programa APROVETECH, aplicamos uma técnica de exercício cerebral chamada Neuróbica, baseada no estudo do neurocientista norte-americano Larry Katz – autor do livro “Mantenha seu cérebro vivo, uma ginástica específica para o cérebro”.

A teoria de Katz é baseada no argumento de que, tal como o corpo, para se desenvolver de forma equilibrada e plena, a mente também precisa ser treinada, estimulada e desenvolvida. Exercitando o cérebro você tem melhor concentração, atenção, aprendizagem e pode  acessar melhor o seu arquivo de memórias, resgatando imediatamente informações importantes no momento das avaliações.

Essa técnica consiste em, literalmente, MALHAR O CÉREBRO tornando-o fisicamente mais “forte” e, portanto, mais preparado para absorver de forma muito mais eficaz os conhecimentos que lhe são imputados.

Chega de se sentir humilhado por causa de reprovações nas provas do Detran – CLIQUE AQUI e assista ao vídeo onde o Dr. Eriston e o Prof. Ronaldo falam sobre as técnicas para aprender a eliminar o nervosismo na hora do seu exame.

Coautor: Dr. Eriston Mourão
Autor: RONALDO CARDOSO

——-

CLIQUE AQUI E INSCREVA-SE PARA ASSISTIR VÍDEOS EM NOSSO CANAL – GRÁTIS

Kit Aprovação - Pacote Completo com Manual Aluno + Simulados + DVD Curso Teórico

Telefone: (33) 3331-4146 - Whatsapp: (33) 98454-1720 - Email: contato@autoescolaonline.net

Direitos Autorais © 2014-2018 Autoescola Online - Todos os Direitos Reservados.