fbpx

Arquivos

Tag: rodovia

É muito comum ouvir motoristas de carro reclamando de caminhões e motoristas de caminhão reclamando de carros. Quem está certo? Ninguém e todo mundo. A verdade é que existem bons a maus motoristas a bordo de ambos, então, a ideia aqui, assim como na lista anterior (10 coisas que todo motorista de carro deveria saber sobre caminhão antes de pegar a estrada), não é julgar ninguém e sim relembrar alguns pontos que possam ajudar a estrada a se tornar um local mais seguro.

 

1 – Eles são mais rápidos

Você pode olhar no retrovisor, ver um carro ao longe e achar que dá para começar uma mudança de faixa, mas no momento seguinte ele pode já estar muito próximo, te obrigando a recuar da manobra, por isso, é recomendável dar uma segunda olhada para ter certeza da velocidade que o outro vem.

Usar o bom-senso também para facilitar as ultrapassagens é uma boa dica, mas nunca, claro, jogar no acostamento para isso.

 

2 – Eles nem sempre são ágeis

Você está vindo a uma certa velocidade e lá na frente vê um carro entrando na sua pista. Não diminui porque acredita que rapidamente ele ganhará velocidade. Mas ele não ganha. Aí o jeito é diminuir e ter paciência, pois o carro pode ser 1.0 ou pode estar em sua lotação máxima, aí demora mesmo para acelerar.

 

3 – Eles são mais baixos

Por isso não vêem a pista da mesma forma que alguém num caminhão, então, ajude sinalizando quando é seguro para ele fazer uma ultrapassagem ou quando vir algum perigo a frente que ele não vê. (e se você está de carro, lembre-se, se o caminhão der seta pra direita, você pode ultrapassar, se ele der seta para a esquerda, não!)

 

4 – A maioria não é profissional do volante

O carro dá seta e você segura para deixá-lo entrar. Só que ele não entra, fica na dúvida. Quando você está quase desistindo ele resolve ir. Não fique bravo, o profissional do volante é você. Não dá para exigir que todos tenham a mesma habilidade e perícia que um caminhoneiro tem. Lembre-se, pelo artigo 29 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), os veículos maiores são responsáveis pela segurança dos menores. E se você estiver a ponto de perder a paciência com um motorista de carro pequeno, imagine que ali poderia estar seu filho, filha, sobrinho ou irmã mais nova. Dê o exemplo.

 

5 – Muitos também estão estressados e cansados

Que a profissão de caminhoneiro é uma das mais cansativas, isso não temos dúvida, mas a pessoa no carro também pode estar cansada e nervosa. A gente nunca sabe o dia que o outro está tendo, por isso, não xingue, não provoque e faça o seu melhor para não responder a uma provocação.

 

6 – Nem todos são “carros de passeio”

Carro de passeio é um nome genérico, mas vale lembrar que muitos estão indo ou voltando do trabalho, outros ainda podem estar fazendo entregas, muitos utilizam o carro comercialmente e estão sempre na estrada, como os representantes comerciais, por isso devem também estar com pressa ou ter horário para cumprir.

 

7 – Muitos estão com a família

E ela é tão importante quanto a sua, por isso, só faça com o outro aquilo que não te incomodaria que fizessem com você e sua família. Se discorda da forma de conduzir ou da atitude do motorista, pense no restante dos passageiros.

 

8 – Eles não conhecem os pontos cegos do caminhão

Por isso que o caminhoneiro tem que tomar o maior cuidado ao fazer manobras. E é por isso também que a lei diz que o caminhão (e o ônibus) deve cuidar do veículo menor. É verdade que reciclagens e cursos de aprimoramento ajudariam os motoristas a se prepararem melhor para o trânsito, mas enquanto isso não acontece, o motorista profissional precisa ter cuidado dobrado.

 

9 – A faixa da esquerda é deles

Se a via tem apenas duas faixas, aí o motorista de caminhão é livre para usar a esquerda em uma ultrapassagem, porém, se a via tem 3 ou mais faixas, o caminhão (e o ônibus) deve se manter na direita e usar apenas a segunda faixa para ultrapassagem – ah, mas tem um caminhão ultrapassando o outro, por isso que fui pra terceira – isso não é justificativa, se um caminhão está fazendo uma ultrapassagem, tenha paciência e aguarde ele terminar antes de fazer a sua. E lembre-se: a velocidade máxima para um veículo de grande porte é 90km/h.

 

10 – Todos têm o direito de ir e vir

Está na constituição:  inciso XV do art. 5º “É livre a locomoção no Território Nacional em tempo de paz…”. Então não adianta ficar bravo ou justificar que tem preferência porque está trabalhando, usar a rodovia é um direito de todos. E se todos (carro, caminhão, ônibus, moto, bicicleta…) usarem o bom-senso e a paciência, as estradas serão um local bem mais seguro e convidativo.

 

Bônus: A maioria é boa gente

É comum ver carros fazendo barbaridades no trânsito. Mas, infelizmente, é comum ver seres humanos fazendo barbaridades em todas as áreas, por isso, não julgue uma classe inteira por alguns indivíduos (pois é exatamente o que você não quer que façam com a sua profissão também). Para cada um que faz algo errado, conte quantos estão fazendo certo.

Com paciência a gente vai mais longe e de forma mais segura.

Autor: Paula Toco
Fonte: http://www.penaestrada.com.br

CLIQUE AQUI E INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL – GRÁTIS

10 coisas que todo motorista de carro precisa saber sobre caminhões antes de pegar a estrada

1 – Eles são mais lentos

Pode reclamar, ficar bravo, espernear, mas não tem o que fazer, a velocidade máxima permitida por lei para um caminhão é 90km/h, logo, não importa se a pista permite que o carro vá a 120, quando um caminhão for ultrapassar outro veículo, ele deverá ir, no máximo, a 90km/h. Por isso, tenha paciência, não dê farol alto, não buzine, não xingue. Muito melhor um caminhão que respeita esse limite que um em alta velocidade colocando todos em risco.

 

2 – Eles têm menos agilidade

Claro, afinal, são muito maiores. Por isso, se um caminhão começar uma manobra a sua frente, não aumente a velocidade para impedir que ele continue, não jogue o carro pra cima, apenas tenha paciência, já já ele volta pra pista dele, até porque, se ele for pego fora da faixa da direita sem um motivo, ele leva multa, então assim que ele terminar a manobra ou a ultrapassagem, ele deve voltar pra sua faixa, e você pode seguir sua viagem.

 

3 – Eles são mais altos

E, por esse motivo, as vezes, a faixa da direita pode ser um problema, principalmente quando as árvores da lateral da pista não são podadas corretamente. Aí, para não chocar o caminhão com algum galho, o motorista pode recorrer à faixa do meio. Por isso, quando um caminhão invadir a faixa do meio aparentemente sem motivos, dê uma olhada em volta antes de julgá-lo.

 

4 – Eles sentem mais os buracos da pista

E esse é outro motivo que faz com que eles, as vezes, fujam da faixa da direita, que costuma ser mais irregular. Se o motorista está arriscando tomar multa e andando na faixa do meio, ele deve ter um bom motivo pra isso, que também pode ser faixa da direita muito estreita, pedaços de outros veículos no acostamento e tantas outras coisas.

 

5 – Eles enxergam mais longe

Você pediu passagem (dando seta para a esquerda e não farol alto) e o motorista respondeu com seta pra esquerda também? Entenda o sinal. Ele não quer ultrapassar outro veículo antes de você. O mais provável é que ele, por ver mais longe, esteja vendo outros veículos vindo na direção contrária e está te sinalizando que se você fizer a ultrapassagem agora, pode se envolver em um acidente. Quando ele der seta para a direita, aí estará indicando que o caminho está livre.

 

6 – Eles, provavelmente, estão dirigindo há horas

E podem estar cansados, sob pressão. Podem ter sido desrespeitados pelo encarregado, porteiro, carregador, policial, e por isso podem estar estressados. A atividade de motorista de caminhão é uma das que mais causa adoecimento no Brasil, por isso, tenha paciência, não provoque, não xingue, respeite essa atividade.

 

7 – Eles estão levando a mercadoria que você vai usar

Se você acha que caminhões atrapalham o trânsito, então imagine você tendo que ir na horta buscar suas verduras e legumes, na roça buscar seu arroz, no pasto buscar sua carne e até pro Pará buscar seu açaí, será que dá? Não, não dá. Então, se você ajuda a provocar um acidente com um caminhão, é a sua mercadoria que não vai chegar ou que chegará mais cara.

 

8 – Eles são ainda mais lentos na subida

Você está vindo tranquilamente atrás de um caminhão a 90km/h, aí começou uma subida e a velocidade do caminhão caiu pra 60km/h. O que você faz? Sair pela esquerda no momento mais seguro é a melhor opção. Não é porque o motorista quis. Ele bem que preferiria continuar a 90, mas a maior parte de nossos caminhões são antigos e podem perder até 50% da sua velocidade numa subida. Por isso, não fique bravo, se vir que lá na frente tem uma subida, já saia de trás do caminhão antes ou diminua sua velocidade, evitando batidas traseiras ou colisões laterais ao tentar ir pra esquerda quando já estiver em baixa velocidade.

 

9 – Eles têm mais pontos cegos

Pense nos pontos cegos do seu carro, que tem mais ou menos uns 4 metros de comprimento. Agora imagine um caminhão com 15m. Os pontos cegos são muito maiores. Existe uma regra que ajuda muito os motoristas de carro: se você consegue ver o condutor de um caminhão, ele também consegue te ver. Ou seja, se você colar na traseira de um caminhão, não verá o condutor, aí ele também não te vê e um acidente pode acontecer (sem falar que é obrigatório por lei manter distância segura do veículo da frente). O mesmo vale para quando você estiver na lateral do caminhão ou quando ultrapassá-lo, não volte para a faixa colado nele, dê espaço para ter certeza que o caminhoneiro te viu entrando na frente dele.

 

10 – Eles precisam de (muito) mais espaço para frear

Você está trafegando a 80km/h e decide que é um bom momento para ultrapassar um caminhão. Dá uma olhada rápida e vê que tem um espaço entre os dois caminhões a sua frente. Acelera, passa o caminhão, entra na frente dele e freia para não colidir com o da frente. Freia na certeza que o caminhoneiro vai frear também. Mas o que muita gente não sabe é que enquanto um carro comum, a 80km/h, precisa de mais ou menos 40 metros para frear, um caminhão com 40 toneladas de carga precisa de 98 metros para parar, já um com 60 toneladas vai precisar de 108 metros. E tudo isso ainda pode variar de acordo com as condições da via, o tipo de carga carregada, a tecnologia do caminhão e tantas outras variáveis que fica muito difícil para o motorista de carro avaliar tudo isso em milésimos de segundo, quando decide ultrapassar. Por isso, só ultrapasse quando tiver certeza que é seguro.

 

Bônus: Eles são, em sua maioria, gente boa

Todo mundo tem uma história pra contar de um caminhoneiro que fez uma besteira na estrada, mas todo mundo também tem uma história de médico ruim, eletricista ruim, garçom ruim e por aí vai, ou seja, em todas as profissões tem gente boa e gente ruim. Sempre que você vir um caminhão fazendo loucura na pista, olhe em volta e veja quantos outros estão andando corretamente. Quem anda corretamente não chama atenção, por isso ficamos com a impressão que motorista de caminhão “é tudo louco”, mas não são. Use a experiência e perícia que eles têm. Comunique-se com eles no trânsito de forma amigável e verá como eles podem contribuir para uma relação mais segura e tranquila no trânsito.

Autor: Paula Toco
Fonte: http://www.penaestrada.com.br

CLIQUE AQUI E INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL – GRÁTIS

Com habilitação provisória não pode dirigir em rodovias

De antemão, devo esclarecer que a condução de um veículo em uma autoestrada (rodovia) requer, do motorista, habilidades específicas para as circunstâncias peculiares deste tipo de via. Afinal, as rodovias geralmente são projetadas e regulamentadas para o desenvolvimento de velocidades maiores onde as forças da física atuam fortemente sobre o veículo interferindo na dirigibilidade e podendo oferecer sérios riscos aos condutores menos experientes. Diante de tais riscos, teria a legislação restringido a circulação de permissionários (portador da Permissão para Dirigir) nestas vias?

É possível que tal questionamento tenha se dado por conta da extinta resolução 734/89 do CONTRAN que proibia, taxativamente, a “APRENDIZAGEM NAS RODOVIAS”. Importante ressaltar que, naquela época, ainda estávamos no antigo Código Nacional de Trânsito (CNT) e nem mesmo existia habilitação provisória (PPD).

Atualmente a resolução que regulamenta a instrução do candidato à habilitação é a 168/04 do CONTRAN. Nela está previsto o treinamento em rodovias, justamente para que após habilitado, este condutor ainda inexperiente, não venha se envolver em acidentes por falta de treinamento.

A partir dessa análise podemos observar que se a própria norma legal prevê o treinamento destes candidatos nas rodovias, não faria o menor sentido restringi-los, após habilitados na Permissão Para Dirigir (PPD), nestas vias.

Importante entender que o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) não faz qualquer distinção entre habilitação provisória ou definitiva, senão quanto ao cometimento de infrações. As restrições que existem em relação ao condutor ainda permissionário (PPD) estão no fato deste não poder, durante o período de habilitação provisória (12 meses), cometer qualquer infração grave, gravíssima ou reincidência em infrações médias, sob pena de não obter a sua habilitação definitiva (CNH).

Concluo dizendo que tanto a habilitação provisória quanto a definitiva têm validade em todo o território NACIONAL. Portanto, ao condutor que possui a PPD não existe qualquer impedimento quanto às vias aonde este possa conduzir seu veículo.

CLIQUE AQUI E INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL – GRÁTIS

Autor: Juarez Nascimento

Virar à esquerda em rodovia, sempre aguardar à direita?

É comum ouvirmos nos cursos de formação de condutores a máxima de que se você for efetuar uma conversão à esquerda, estando numa RODOVIA, deve-se sempre aguardar à direita da via para depois cruzar a pista com segurança. Todavia, esta “regra” não tem previsão no texto legal. Vejamos o que diz o Código de Trânsito Brasileiro (CTB):

CTB art. 37. Nas vias providas de acostamento, a conversão à esquerda e a operação de retorno deverão ser feitas nos locais apropriados e, onde estes não existirem, o condutor deverá aguardar no acostamento, à direita, para cruzar a pista com segurança.

CTB  art. 204. Deixar de parar o veículo no acostamento à direita, para aguardar a oportunidade de cruzar a pista ou entrar à esquerda, onde não houver local apropriado para operação de retorno: Infração grave; Penalidade de multa.

Pode-se concluir, dos dispositivos acima, que a regra NÃO faz menção à RODOVIA, mas às “vias providas de acostamento”. Ademais, conforme sabemos, nem todas as rodovias são providas de acostamento.

Ocorre é que, com o passar do tempo, criou-se um “mantra” equivocado de que o texto do artigo 37 do CTB se refere a uma via do tipo RODOVIA e, assim, deixou-se de usar o termo correto “vias providas de acostamento”.

Vale ressaltar que “acostamento” não é um espaço, do logradouro, exclusivo das rodovias sendo possível de ser encontrado, também, em vias urbanas.

Eis que, então, surge o seguinte questionamento: Se o procedimento de “aguardar à direita para cruzar a via”, não é particular das rodovias em geral, como devem ser efetuadas as manobras de conversão à esquerda quando a rodovia não dispuser de acostamento?

Para obtermos a resposta, voltemos a analisar o texto legal:

CTB art. 38. Antes de entrar à direita ou à esquerda, em outra via ou em lotes lindeiros, o condutor deverá:

I – ao sair da via pelo lado direito, aproximar-se o máximo possível do bordo direito da pista e executar sua manobra no menor espaço possível;

II – ao sair da via pelo lado esquerdo, aproximar-se o máximo possível de seu eixo ou da linha divisória da pista, quando houver, caso se trate de uma pista com circulação nos dois sentidos, ou do bordo esquerdo, tratando-se de uma pista de um só sentido.

Analisando anteriormente o artigo 37 e agora o 38 I e II, podemos extrair o seguinte:

  1. Ainda que a via seja provida de acostamento, o condutor deve procurar um local adequado para realizar a manobra de conversão à esquerda, como: Trevo, rotatória, ilha, viaduto, vão de canteiro central, dentre outros, e onde não houver estes locais deve-se aguardar no acostamento à direita da via para cruzar a pista com segurança.
  2. Se a via é desprovida de acostamento, o condutor deverá aproximar seu veículo o máximo permitido à esquerda que, sendo a via de sentido duplo, esta aproximação deve ser junto à linha divisória ou eixo central da via ou, sendo de sentido único, aproximar-se da margem esquerda da via.

Desse modo, podemos imaginar um condutor, numa rodovia sem acostamento, imobilizando seu veículo junto à linha central para aguardar o momento seguro de cruzar a pista. Claro que, apesar de estar amparado pelo texto do artigo 38 do CTB, essa manobra, a depender da intensidade do tráfego e velocidade do fluxo, pode representar alto risco para os envolvidos.

Portanto recomenda-se que, antes de qualquer norma legal, o condutor se atende para as circunstâncias presentes na situação e procure aplicar os conceitos de Direção Defensiva, de modo a priorizar a segurança.

CLIQUE AQUI E INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL – GRÁTIS

Autor: RONALDO CARDOSO